(14) 3313-6740 | (14) 3235-3350

Clínica Integra - Av. Comendador José da Silva Martha, 3-30 - Jd Estoril, Bauru - SP

CDU - Centro de Diagnósticos da Unimed - Rua Agenor Meira, 12-34 - Centro, Bauru - SP

VASECTOMIA

 

A Vasectomia é uma cirurgia que interrompe a passagem dos espermatozoides produzidos pelos testículos e que são levados pelos canais deferentes até o conteúdo que sai na ejaculação após uma relação sexual.

Trata-se de um método de contracepção muito seguro. Muitos homens, porém, se recusam a fazer essa cirurgia porque imaginam que ela possa provocar impotência sexual ou alterações no orgasmo durante a atividade sexual. A vasectomia torna o homem estéril, mas não interfere na produção de hormônios masculinos nem em seu desempenho sexual.

 

Interessante é que muitos homens preferem que a mulher faça a laqueadura (cirurgia que esteriliza a mulher), que é muito mais invasiva pelo medo de enfretarem uma sala de cirurgia.

 

DRº BRUNO RESPONDE:

Drº Bruno, quais argumentos você usa quando recebe alguém que quer fazer vasectomia e se mostra um pouco preocupado?

Creio que seja muito importante conversar e entender a história do casal, o número de filhos e os objetivos que os dois tem com a realização do procedimento. Explico sempre que é um procedimento de pequeno porte e de baixo risco cirúrgico, que tem baixa taxa de complicações, mas que é uma decisão que precisa ser consciente e madura pelo casal. Oriento sobre a possibilidade de reversão do procedimento, visto que alguns casais se separam e o homem muitas vezes quer ter filhos com uma nova parceira ou até mesmo alguns que perdem um de seus filhos e decidem ter uma nova gestação. O mais importante é entender que é uma cirurgia segura e saber tudo que envolve o antes, o durante e o depois do procedimento.

E a partir de que idade você acha que a vasectomia pode ser indicada?

Pela Lei do Planejamento Familiar de 1996, está orientado que a devisão de se esterilizar voluntariamente, só pode ser realizada por homens ou mulheres com mais de 25 anos e/ou que tenham dois ou mais filhos. Porém mais que o que está na lei, é fundamental que seja uma decisão pensada e compartilhada para que traga a segurança de um planejamento familiar adequado.

Como é realizada a cirurgia, Drº Bruno?

A vasectomia é uma operação realmente muito simples. O indivíduo não precisa estar em jejum. Na sala de cirurgia, é feita uma pequena infiltração local com anestésico e uma incisão de 1 cm em cada lado do saco escrotal. O médico isola o canal deferente e a seguir, corta-se o mesmo, cauterizando e dando ponto nas duas pontas que ficam para se evitar a recanalização. Por fim, se fecha a incisão. Pronto. O indivíduo está liberado para voltar para casa. Muitos saem do hospital e já tem condição de trabalhar no dia seguinte.

 

Assim que o paciente termina o procedimento ele já se encontra estéril?

Isso é algo importante. Existe um risco de o homem engravidar sua parceira após o procedimento, sendo fundamental a realização de um espermograma após 2 a 3 meses do procedimento para que se possa verificar a inexistência de espermatozóides no conteúdo da ejaculação.

 

Apesar dessa modificação na produção de espermatozoides, a produção do líquido espermático e a ejaculação continuam ocorrendo normalmente?

 

A vasectomia não altera a produção nem a quantidade de líquido espermático eliminado na ejaculação, não se notando diferença e já há estudos que mostram melhora da qualidade da atividade sexual do casal, visto que há a preocupação com a gravidez.

 

Existe alguma relação entre potência sexual e vasectomia?

 

Não existe nenhum prejuízo ou vantagem orgânica objetiva com relação à potência ou à performance sexual. O que melhora é a libido do vasectomizado, porque ele passa a transar sem preocupação, sem usar camisinha. Além disso, a mulher se solta e passa a ser mais participativa, porque desaparece o medo de engravidar, além de em muitas ocasiões deixas de usar o anticoncepcional oral. Logo, do ponto de vista sexual, a vasectomia representa um benefício para o casal.

 

E em quais situações se pode fazer a reversão da vasectomia?

A reversão da vasectomia é um ato tecnicamente viável e possível. Se a reversão for feita três ou quatro anos depois da vasectomia, em 90% dos casos o espermograma é bom e, em 70% existe a chance de a mulher engravidar. À medida que o tempo passa, diminuem as taxas de presença de espermatozóides e número de gestações. A cirurgia exige delicadeza e um microscópio capaz de aumentar entre 20 e 25 vezes, porque o tubo a ser reconectado é minúsculo.

Qual mensagem o senhor deixaria ao paciente que deseja realizar a vasectomia?

O mais importante é entender que precisa ser uma decisão consciente. E ´é pra isso que me coloco a disposição para esclarecer ao meu paciente cada ponto referente a cirurgia e estimulá-lo a pensar da necessidade de haver uma estabilidade conjugal e um bom entendimento de tudo que envolve o procedimento.